Com o intuito de esclarecer as dúvidas de futuros intercambistas, o núcleo na UFRN da Rede Ciência sem Fronteiras (Rede CsF) promoveu o evento “Mobilidade Internacional em Países de Língua Inglesa”, um bate-papo entre bolsistas e ex-bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras que aconteceu no dia 14 de março, no auditório E da Escola de Ciências e Tecnologia(ECT-UFRN).

Participaram da conversa estudantes que foram para os Estados Unidos, Canadá, Irlanda, e Inglaterra, destes, vários com graduação no BCT da UFRN, além de estudantes de design e um de medicina.

Weverton Apolinário, estudante de Engenharia da Computação, que passou um ano University of Nebrasca, nos Estados Unidos, comentou: “Tive oportunidade de melhorar meu inglês e exercitar minhas habilidades de liderança”, e ainda recomendou aos que pretendem estudar fora do país: “Saia. Vá conhecer o mundo, conhecer pessoas, fazer network. Coisas que façam você ser lembrado”.

Rafael Costa, estudante de engenharia mecânica que passou pela Auburn University, onde recebeu o prêmio O’Neal Austin Best Student Award, oferecido pelo departamento de engenharia mecânica da universidade americana. “A experiência foi fantástica, realmente recomendo a todos”, disse.

Dos que foram para o Canadá, Amanda Dantas, estudante de design, que passou pela OCAD University e Daniel Rodrigues, estudante de Engenharia de Telecomunicações que esteve Carleton University, também compartilharam experiências. Amanda falou: “A universidade era muito boa e pude conhecer outras áreas do design. Se vocês tiverem oportunidade de pagar disciplinas diferentes do seu curso, aproveitem”.

Thales Leite, da área de engenharia mecânica, que foi para a University of Lincoln, na Inglaterra, comentou que o período em que passou na Inglaterra foi o melhor ano de sua vida, mas alertou. “O intercambio não é essa maravilha, a gente passa por muitas dificuldades”.

José Paulo Júnior, estudante de medicina que viajará para a Inglaterra em setembro, para a Middlesex Unversity, contou sobre a decisão de estudar fora do país: “Foi uma decisão difícil. É muito importante você estar certo de que quer fazer o intercambio”.
Os estudantes de design que foram para a Irlanda, Samir Hamad (Maynooth University) e João Paulo Campos, (Dublin Business School) também estiveram presentes. “Foi um período muito enriquecedor. Uma oportunidade singular de ter contato com outras culturas”, disse João Paulo. Eles foram respectivamente para Maynooth University e Dublin Business School.

O Professor Aderson do Nascimento, Secretário Adjunto de Relações Internacionais da UFRN, esteve presente, esclareceu dúvidas do público presete e falou: “O objetivo do Ciência sem Fronteiras é expor o aluno a essa realidade e, que ao voltar, o aluno se torna uma espécie de diplomata na universidade, estando muito mais aptos a tomar as grandes decisões”.

Rede CsF

A Rede CsF é uma  associação não governamental sem fins lucrativos, fundada por ex-bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras,  que tem como meta criar e manter um ambiente de integração entre participantes de Mobilidade Acadêmica Internacional e parceiros, para troca de experiências, conhecimentos e oportunidades, contando atualmente com  mais de 1500 membros entre bolsistas e ex-bolsistas.

Tendo como lema "Vem transformar o Brasil com a gente", a Rede tem  realizado colóquios em várias universidades do país , o primeiro deles aconteceu  em março na ECT, com a palestra Oportunidades no processo de formação universitária , apresentada por Guilherme Rosso,  Bacharel em Ciências e Tecnologia pela UFRN e membro fundador da organização.

Em março foi lançado o Fórum Rede CsF, espaço que permite a criação de seções, tópicos, questionários com o objetivo de compartilhar e debater experiências, sanar suas dúvidas, ficar por dentro de novidades e oportunidades.

ComC&T
Assessoria de Comunicação e Produtora de Conteúdo da Escola de Ciências e Tecnologia.