Sem a microeletrônica, ou seja, sem a criação dos chips que são capazes de armazenar componentes em um espaço tão limitado (um chip não chega a ter 1 centímetro quadrado de área) não haveria eletrodomésticos, calculadoras, televisores, brinquedos, telefones, caixas de som ou mesmo relógios digitais. A lista é grande e poderia continuar, dada a importância da microeletrônica embutida nas tecnologias que temos hoje. É nesse contexto que se insere a XIV Escola de Microeletrônica do Nordeste (EMicro-NE 2019), evento voltado à formação na área, que acontece na Escola de Ciências e Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ECT/UFRN), dias 15 e 16 de novembro.Essa é a segunda vez que o evento é realizado no Rio Grande do Norte.

Professores de universidades do Rio Grande do Norte, Paraíba e São Paulo e do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) serão responsáveis por ministrar 12 minicursos e três palestras. Os temas são diversos e abrangentes.

A programação do evento conta com seminários e palestras sobre diversos temas da Microeletrônica. Você pode conferir os detalhes das palestras e minicursos nesteslinks:

<https://www.ect.ufrn.br/index.php/emicro-ne-discute-a-importancia-dos-asics-para-a-inovacao>;

<https://www.ect.ufrn.br/index.php/evolucao-da-micro-nanoeletronica-e-aplicacoes-sera-o-tema-da-primeira-palestra-da-emicro-ne-2019> .

<https://www.ect.ufrn.br/index.php/emicro-ne-tem-minicurso-para-estudantes-do-ensino-medio?fbclid=IwAR0pNVQ33VQzqpGvA0MTMSPYe4QIbsExjMkfvrxi_Wh-vNAdS-J7pMJHocs>

<https://www.ect.ufrn.br/index.php/efeitos-da-radiacao-ionizante-em-transistores-avancados-e-tema-de-minicurso-da-emicro-ne-2019>

Para o coordenador do evento, professor Francisco José Targino Vidal, a EMicro-NE 2019 possa contribuir com o desenvolvimento tecnológico, a produção de conhecimentos e especialmente com a formação de recursos humanos na área da microeletrônica na região Nordeste, o Rio Grande do Norte em especial. “É uma excelente oportunidade para conhecer um pouco da área de microeletrônica, o fluxo de projetos e as ferramentas empregadas nos projetos de circuitos integrados”, comentou Vidal