ECT confirma sua vocação inovadora e aprova Mestrado Profissional em Inovação, na Capes.

A UFRN acaba de ganhar mais um mecanismo de estímulo a políticas de inovação por meio da aprovação do Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação (MPInova) da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT). A aprovação foi concedida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no dia 22 de dezembro.

Ao egresso do curso será concedido o grau de Mestre em Ciência, Tecnologia e Inovação. A duração do curso MPInova será de até 24 (vinte e quatro) meses, com possibilidade de prorrogação de 6 meses, mediante solicitação e análise do Colegiado do curso.

A área de concentração do MPInova é Gestão da Inovação e da Informação, com duas linhas de pesquisa: desenvolvimento de tecnologias para a inovação e gestão da inovação. O cerne desta área de concentração é a formação de gestores da inovação e da informação capazes de gerar uma cultura de inovação nas universidades, nas empresas e nos setores governamentais, por meio da criação de metodologias, de estratégias e de ferramentas adaptadas a cada situação-problema das organizações e da conectividade de saberes e ideias, de todas as áreas de conhecimento, com vistas a transbordar efeitos da produtividade acadêmica na economia local.

De acordo com a Pró-Reitora de Pós-Graduação, Edna Maria da Silva, o primeiro passo para a implantação do mestrado aprovado pela Capes é formalizar seu Colegiado na UFRN, que, entre outros trâmites para o funcionamento do curso, deve deliberar sobre o processo seletivo para ingresso de novos discentes. Para 2015, serão disponibilizadas 20 vagas, das quais, pelos menos os procedimentos de inscrição e suas regras serão divulgados em edital público, a ser divulgado no site da ECT.

Mestrado Profissional

O mestrado profissional é uma modalidade recente, regulamentada pela portaria No 7, de 22  de  junho  de  2009,  publicada  no  Diário  Oficial  da  União.

Segundo a Capes, a diferença fundamental entre o mestrado acadêmico e o profissional é que, o último tem como ênfase estudos e técnicas diretamente voltadas ao desempenho de um alto nível de qualificação profissional, conferindo os mesmos graus e prerrogativas que o mestrado acadêmico, inclusive, para exercício da docência e pós-graduação.

Perfil

Os egressos do Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação (MPInova) terão uma formação interdisciplinar centrada na geração da cultura da inovação nas organizações que compõem a tríplice hélice do desenvolvimento socioeconômico (universidades, empresas e setores governamentais) e na interação desses agentes, tanto
em sua vertente aplicada quanto teórica. Com vistas à transformação do conhecimento em riqueza socioeconômica, os egressos dominarão recursos e esquemas conceituais voltados a soluções adaptadas a cada situação-problema, bem como o desenvolvimento de tecnologias para operacionalização da inovação, nas organizações.

 

Mais sobre o curso:

Por meio da oferta do curso Stricto Sensu regular de Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação, o MPInova tem como objetivos promover a geração de capital intelectual, processos e sistemas capazes de:

Desenvolver uma cultura de inovação nos ambientes que compõem a tríplice hélice do desenvolvimento socioeconômico (universidades, empresas e setores governamentais);

Estimular e apoiar a constituição de alianças estratégicas e o desenvolvimento de projetos de cooperação envolvendo empresas nacionais, institutos de Ciência e Tecnologia e organizações de direito privado, que objetivem a geração de produtos e processos inovadores, que dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências;

Contribuir com a consolidação da política de inovação da UFRN, com o fortalecimento do Núcleo de Inovação Tecnológica do Departamento de Inovação e Empreendedorismo da Pró-Reitoria de Pesquisa da UFRN e com a criação da Agência UFRN de Inovação – vitrine das tecnologias da universidade;

Implantar e consolidar ambientes inovativos, como incubadoras e parques tecnológicos, envolvendo todas as áreas do conhecimento da UFRN;

Gerir, empreender e desenvolver soluções inovadoras para o país com uso qualificado de tecnologias para a promoção da inovação, de forma intensiva ou transversal, visando atender demandas locais, regionais, nacionais e mundiais, gerando organizações mais competitivas e realizar análises de cenários para identificação de oportunidades, planejamento de estratégias de inovação intra e inter organizações e acompanhamento dos resultados, captação e gestão de recursos financeiros, gestão da propriedade intelectual e transferência de tecnologia, por meio do desenvolvimento de tecnologias para a governança e operacionalização da inovação.

Processo Seletivo

Cada processo seletivo será deliberado pelo Colegiado do curso, procurando alinhar seus requisitos com as políticas e as demandas nacionais e locais de desenvolvimento socioeconômico. Os procedimentos de inscrição e suas regras serão divulgados em edital público.

Para obtenção do título

Para concluir o curso, o aluno terá que ter cumprido carga horária mínima de 525 horas/35 créditos, sendo: 135 horas/9 créditos, em disciplinas obrigatórias, 270 horas/18 créditos, em disciplinas optativas, 120 horas/8 créditos, no Estágio Gestor bem como deve evidenciar aprovação em prova de proficiência em língua estrangeira no exame de qualificação, perante uma banca examinadora, e no trabalho de conclusão final, perante uma banca examinadora conforme a resolução No. 197/2013 CONSEPE de 10 de dezembro de 2013, que dispõe sobre normas dos programas e cursos de pós-graduação da UFRN, e portaria normativa No. 7 de 22 de junho de 2009, publicada no Diário Oficial da União, que regulamenta o mestrado profissional.

As disciplinas do MPInova

As disciplinas obrigatórias para a área de concentração gestão da inovação e da informação são:

1. Gêneros Discursivos em Inovação - 60 horas/4 créditos
2. Probabilidade e Estatística Descritiva para Gestores - 45 horas/3 crédito
3. Atividades Integradoras - 30 horas/2 créditos

Atividades Integradoras voltadas para a inovação: startup meetup, coworking, networking, fóruns, workshops, seminários, mini-cursos, cursos, palestras, simpósios e congressos. Integração entre os conhecimentos da gestão de inovação e de tecnologia da informação.

Áreas estratégicas para o desenvolvimento socioeconômico local. Conectividade de saberes e ideias.

A linha Desenvolvimento de Tecnologias para a Inovação, de caráter prático-instrumental, conta com as seguintes disciplinas, cada uma com carga horária de 45 horas/3 créditos*:

1. Experimentação e Validação de Soluções Tecnológicas
2. Gerenciamento de Processos de Negócios
3. Gestão de Projetos
4. Inovação: da bancada ao mercado consumidor
5. Metodologias e Ferramentas para o desenvolvimento de Novos Produtos e Novos Negócios
6. Negócios Eletrônicos e Novas Mídias
7. Prospecção de Informação Científico-Tecnológica
8. Sistemas de Apoio à Decisão e Inteligência Empresarial
9. Tópicos Avançados em Desenvolvimento de Tecnologias para a Inovação.

Tópicos Avançados em Desenvolvimento de Tecnologias para a Inovação é uma disciplina de ementa aberta, que visa abordar o Estado da Arte de ferramentas, de metodologias e de estratégias para operacionalização da inovação nas organizações.

A linha Gestão da Inovação, de caráter teórico-conceitual, conta com as seguintes disciplinas, cada uma com carga horária de 45 horas/3 créditos*:

1. Estratégia Competitiva e Inovação
2. Fontes de Financiamento e Gestão Financeira da Inovação
3. Gestão da Criatividade
4. Inovação, Economia e Desenvolvimento
5. Inovação e Inteligência Competitiva
6. Inovação, Universidades e Governos
7. Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia
8. Qualidade em ambientes de inovação
9. Recursos Naturais, Informação e Inovação
10. Tópicos Avançados em Gestão da Inovação e da Informação

* Parte da carga horária da disciplina poderá ser ministrada por meio de recursos de ensino à distância.

O que é Estágio Gestor?

O Estágio Gestor é o período no qual o aluno realizará a prospecção de potencialidades, gargalos e necessidades de inovação da organização (universidade ou empresa ou setor governamental) para a qual desenvolverá e sintetizará metodologias,  estratégias e/ou ferramentas para a gestão da inovação e da informação.

Dentro do objetivo do MPInova de gerar uma cultura da inovação nas organizações, bem como de promover a interação da tríplice hélice, o trabalho a ser desenvolvido pelo aluno, ancorado em seu Estágio Gestor, deve ser dentro da organização e para a organização. Esta é a principal razão desta proposta ser via mestrado profissional e não mestrado acadêmico. Neste contexto, a expectativa é que o trabalho de conclusão final seja um produto voltado para a inovação da organização. Prioritariamente, aquele passível de proteção da propriedade intelectual. O trabalho de conclusão final deverá ser evidenciado por meio de documento descritivo do seu processo de desenvolvimento, relatando seus impactos na organização.

O tempo mínimo de conclusão é de 12 meses e máximo de 24 meses, com a possibilidade de, excepcionalmente, o Colegiado do curso prorrogá-lo por mais 6 meses, acatando solicitação, devidamente contextualizada e justificada, do orientador.

O Trabalho de Conclusão de Curso

Embora o MPInova conte com a tradicional dissertação (produção textual com adequada revisão sistemática e aprofundada da literatura, com contribuição científica clara e bem definida), o curso prioriza os seguintes produtos acadêmicos para o trabalho de conclusão:

Patente - documentação integral exigida para concessão da patente pelo Instituto Nacional da Propriedade Intelectual, tais como Requerimento, Pedido de Patente, Relatório Descritivo, Desenhos, etc., inclusive a certidão de submissão do pedido;

Metodologia para o setor produtivo - produção de procedimentos para gestão estratégica de inovação ou criação de novos ou aperfeiçoados produtos (bens ou serviços) ou processos;

Desenvolvimento de programa/processo computacional para gestão de inovação - produção da documentação formal e técnica exigida pelo Instituto Nacional da Propriedade Intelectual, incluindo algoritmo, estudo de caso e listagem integral ou parcial do código fonte, além  de  outros  dados  que  se  considere  pertinente  para  identificar  e  caracterizar  sua contribuição, inclusive a certidão de submissão do pedido de registro de software;

Desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica para captação e aplicação de recursos no setor produtivo;

Publicações tecnológicas - publicação de livro ou capítulo de livro em editora que possua quadro editorial de profissionais técnicos específicos da área afim do Mestrado Profissional e artigo em periódico - artigo aceito para publicação em revista com classificação da Capes A1, A2, B1 ou B2.

 ComC&T
Assessoria de comunicação e produtora de conteúdo da Escola de Ciências e Tecnologia