A Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) promoveu ontem, 18/09, uma intervenção em função do Setembro Amarelo, que é uma campanha de prevenção contra o suicídio.  A ação ocorreu ao longo do dia no hall de entrada da ECT e contou com a participação de alunos, tutores e da coordenação do curso. 

Segundo a Professora Amanda Leite, Coordenadora do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT), “o objetivo principal da ação é mostrar que apesar da escola ser enorme, a gente tá aqui pra apoiar, a intenção é mostrar que a ECT está aqui para ouvir os alunos”. Os participantes da atividade escreveram pequenos recados motivacionais que foram expostos em um quadro na entrada do prédio. Como agradecimento pelo gesto, os organizadores distribuíram pirulitos.

“A importância é conscientizar as pessoas, que nós temos problemas que não conseguimos colocar pra fora, a gente não consegue se abrir pra todo mundo, esse evento é importante pra mostrar pras pessoas que existem pessoas aqui que estão dispostas a ouvir elas”, comentou Pablo Matheus, alunos do 1° período do BCT.

Sobre o Setembro Amarelo

A iniciativa foi adotada no mês de setembro, este que se tornou socialmente símbolo da campanha de sensibilização sobre a prevenção do suicídio. Sendo o dia 10 de setembro marcado como Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, a iniciativa que ficou conhecida como Setembro Amarelo foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). A campanha adotou a cor amarela inspirada pela história do americano de 17 anos Mike Emme que, em 1994, tirou a própria vida dirigindo seu carro amarelo. Em seu velório, familiares e amigos distribuíram fitas amarelas e mensagens de apoio para ajudar pessoas que se encontravam em uma situação parecida.  

Nos últimos anos, o ambiente acadêmico tem sido um agravante para o crescente número de jovens que desenvolvem ansiedade e depressão. Um estudo de 2016 realizado pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais do Brasil indicou que sete a cada dez alunos dessas instituições sofrem com algum tipo de dificuldade emocional. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é uma das instituições que tem apresentado um aumento no número de casos entre seus discentes.  

Para lidar de maneira satisfatória com tal situação, a UFRN conta com um setor especializado para atender as demandas psicológicas dos seus alunos, que é o Serviço de Psicologia Aplicada ( SEPA). Além dos serviços especializados, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) também desenvolve ações de sensibilização dentro da Universidade, caso da campanha deste ano, “UFRN na Prevenção do Suicídio”, que propôs a iniciativa dos estudantes se vestirem de amarelo e contou com palestras, debates e mesas-redondas sobre o tema.  A Proae possui ainda um serviço de plantão psicológico por telefone, através do número 3342-2278 (ramal 8), além de encontros presenciais realizados no SEPA. O atendimento é por ordem de chegada e ocorrem às terças e quintas-feiras, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Para maiores informações, acesse www.proae.ufrn.br ou envie um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

LEIA MAIS:   

https://www.ufrn.br/imprensa/noticias/28628/ufrn-promove-debates-sobre-o-setembro-amarelo-2