O Bacharelado em Ciências em Tecnologia pode levar a vários caminhos na vida profissional e acadêmica, desde a formação generalista até as engenharias, oferecidas como oportunidades de formação em segundo ciclo. Outra opção é tornar-se professor.

Essa foi a escolha de Augusto César Nobre, o primeiro ex-aluno da Escola de Ciências e Tecnologia a tornar-se professor da unidade acadêmica. Augusto é da primeira turma do BCT, ingressante em 2009, tendo como grande desafio em sua formação, conciliar trabalho e estudos. Formado no final do ano passado como generalista, ele prestou concurso para professor substituto. Aprovado, atuou como docente durante o primeiro semestre de 2015. 

Anteriormente foi monitor da disciplina Ciência, Tecnologia e Sociedade III, (atualmente em transição para Economia e Desenvolvimento) e Gestão e Economia da Ciência, Tecnologia e Inovação, e essa experiência o ajudou na transição de aluno para docente. “Como monitor você aprende algumas coisas que são importantes para o desenrolar do seu curso. Tem que ter perseverança e paciência sempre”.

Segundo ele, no ensino médio desejava cursar geografia, com o objetivo de ser professor, mas a desaprovação da família o desestimulou. A escolha de fazer o BCT foi determinada apenas pela grande quantidade de vagas oferecidas, o que possibilitaria uma maior chance de aprovação, mas durante o curso, atuar como professor voltou a ser uma possibilidade. “Quando fui ser monitor e Zulmara (Carvalho) me convidou para dar a última aula, isso aflorou de novo, e eu disse: se aparecer uma vaga, vou ser professor”.

Para finalizar, Augusto, que está deixando o cargo de professor substituto, deu sua recomendação para quem deseja seguir a docência: “Dedique-se. Se você quer ser professor, se dedique 110, 120%. Não esmoreça diante das dificuldades. Tenha sempre foco, foco e paciência, se dedica que dá certo”.

ComC&T
Assessoria de Comunicação e Produtora de Conteúdo da Escola de Ciências e Tecnologia.