A Escola de Ciências e Tecnologia (ECT-UFRN) tem como uma de suas principais características o estímulo ao empreendedorismo e a inovação. Nesse contexto foi criada a Incubadora de Processos Acadêmicos, Científicos e Tecnológicos Aplicados da Escola de Ciências e Tecnologia (InPACTA), que foi inaugurada na quarta feira, 6 de maio.

O evento de lançamento da incubadora contou com a presença da Reitora da UFRN, Ângela Cruz, de Pró-Reitores da UFRN, de Diretores de Centros, Chefes de Departamentos, Coordenadores de Cursos, além de professores e estudantes.

Rex Medeiros, diretor da ECT, abriu o evento: “Esse é um ano muito importante para a ECT. Em 2015, nós vamos fazer também ensino de Pós-Graduação, com a aprovação do Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Inovação (MPInova). A inPACTA vem se juntar ao nosso programa de mestrado para geração de inovação e desenvolvimento tanto para o estado do RN, quanto para o Brasil”.

A Reitora ressaltou a importância de incentivar o empreendedorismo na universidade. “Hoje nós temos o desafio de desenvolver negócios empreendedores. Temos que apoiar e incentivar grupos como esse, que em tão pouco tempo já aprovou um mestrado", e  ainda destacou o momento vivido pela ECT. “Com uma Empresa Junior e uma incubadora com as pessoas que trabalham com ciência aplicada, a Escola de Ciências e Tecnologia mostra que está em fase de maturidade. Para os estudantes do BCT, isso representa uma grande oportunidade".

Depois houve um momento cultural com o professor André Bessa, que  relacionou música e inovação e cantou alguns sucessos do Samba e da Bossa  Nova.

Logo após, Carlos Von Sohsten, Consultor da área de Orientação Empresarial  do SEBRAE/RN, falou sobre o desafio que é empreender, sobre modelos de  negócios e a importância de se conhecer o mercado, e citou que conhecer os  clientes, concorrentes e fornecedores é fundamental e encerrou: "Se há um  recurso para superar os obstáculos é o conhecimento. Empreender não é  mágica, é um processo que envolve atitude, mas muito conhecimento. Teoria  posta em pratica".

Na sequência, Aldayr Dantas, coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica da UFRN (NIT) falou sobre a relação da Universidade e a incubação de empresas, e citou sobre as 4 incubadoras da UFRN, que já possuem um total de 23 empresas incubadas. Para o coordenador do NIT, o desafio é: “Como conseguir que alguma coisa que a gente faz aqui (na universidade) desperte o interesse dos empresários”.

“A inPACTA  tem que ser diferente de todas as outras incubadoras”, afirmou o professor Gláucio Brandão, que esteve ligado à implantação do Núcleo de Aplicação de Tecnologias Avançadas NATA (2008), e das incubadoras INOVA (2013), BiOINOVA, TECNATUS e inPACTA(2015). Gláucio falou sobre a História da Inovação na UFRN e destacou: "Incubação é uma extensão sustentável. A gente tem que começar a estimular a criatividade e questionar os papéis da pesquisa e da extensão”. 

Encerrando à tarde de palestras, o professor Efrain Matamoros apresentou o planejamento estratégico e a equipe da incubadora. "A inPACTA é uma sequencia de todos os projetos que nós viemos trabalhando. A ideia não  é só criar empresas, é criar talentos. Ser especialista em criar ideias empreendedoras. Vamos trabalhar as pessoas para que elas sejam empreendedoras e façam empresas de sucesso".

A equipe de incubação é composta por Efrain Matamoros (Gerente Executivo), Eduardo Sande (Gerente de Prospecção), Zulmara Carvalho (Gerente de Negociação Tecnológica), Carlos Alexandre Abreu (Gerente de Desenvolvimento Financeiro), Luciana Lucena (Gerente de Melhoria Contínua) e Gláucio Brandão (Gerente de Novos Negócios e Operacionalização).

Para finalizar, o Gerente Executivo da nova incubadora anunciou o lançamento de 3 editais que estão com inscrições abertas: o Edital de sócios idealizadores,  o de sócios desenvolvedores e o de sócios mentores.

Para mais informações sobre os editais acesse: http://inpacta.ect.ufrn.br/

A inPACTA tem como objetivos estimular, apoiar e promover a transferência de tecnologia e a transformação de ideias em projetos aplicados, negócios ou empresas inovadoras  e orientados para a geração ou uso intensivo de ciência e tecnologia nas fases de idealização, concepção, formalização e fortalecimento.

Tendo como principais parceiros a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e a Empresa Junior da ECT (EJECT). 

Vale a pena destacar que a equipe da inPACTA também está a frente do Mestrado em Ciência, Tecnologia e Inovação(MPInova), aprovado em dezembro do ano passado e previsto para ter início ainda este ano, tendo Gláucio Brandão, como Coordenador, e Zulmara Carvalho, como vice Coordenadora. “O incentivo à cultura de inovação vai se consolidar na ênfase em negócios tecnológicos e no mestrado”, apontou Zulmara.

A inPACTA, organizou a edição desse ano da Global Game Jam 2015, na Escola de Ciências e Tecnologia, que ocorreu em Janeiro, e o evento iDEA UP Weekend nos dias 22 e 23 de agosto de 2014, no IMD/UFRN.

Assista o vídeo com imagens exclusivas do lançamento da inPACTA:

{youtube}/_UZjcEO_nhQ{/youtube}

Incubação de empresas na UFRN

As incubadoras universitárias tem a função apoiar empreendedores, oferecendo consultoria e infraestrutura para as empresas incubadas em seu estágio inicial, proporcionando um melhor acesso ao mercado.

Na UFRN, a Incubação de Empresas é um programa de pesquisa e extensão, articulado com o ensino técnico, de graduação e pós-graduação, destinado a regular a criação, o funcionamento e a avaliação de incubadoras de empresas que vierem a ser propostas ou que estejam em operação nos diversos setores da instituição. 

As Incubadoras de Empresas podem ser classificadas como: incubadora de empresas de base científica e tecnológica, de empresas de setores tradicionais da economia, de empresas de base social e mista, abrigando empresas de mais de um dos tipos acima descritos; nas formas de pré-incubação, incubação de empresas residentes, de empresas não residentes ou incubação à distância, e de projetos de inovação.

O Programa de Incubação na UFRN foi criado pela Resolução Normativa nº 054/2011 - CONSEPE, 31 de maio de 2011, e atualizado de acordo com a RESOLUÇÃO No 089/2013-CONSEPE, de 04 de junho de 2013. Estando subordinado à Comissão Gestora do Programa de Incubação de Empresas da UFRN, que está ligada ao Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT, da Pró-Reitoria de Pesquisa (PROPESQ).

Atualmente existem outras três incubadoras atuando na Universidade Federal: a Incubadora de Empresas (INOVA METRÓPOLE), no âmbito do Instituto Metrópole Digital – IMD  que atua no Incentivo e promoção do empreendedorismo e inovação em Tecnologia da Informação; a Incubadora de Empresas Ciências da Vida (BIO INOVA), vinculada ao Centro de Biociências – CB e ao Centro de Ciências da Saúde – CCS,  a Incubadora de Empresas (TECNATUS), vinculada ao Centro de Tecnologia – CT, que se propõe a desenvolver iniciativas de capacitação, treinamento e formação gerencial e tecnológica dos empreendedores. 

 ComC&T

Assessoria de Comunicação e Produtora de Conteúdo da Escola de Ciências e Tecnologia