Lauro Meller, professor de Práticas de Leitura e Escrita III na Escola de Ciências e Tecnologia foi notícia nacional ao ter uma matéria que fala de dois de seus artigos produzidos para a Revista Brasileira de Estudos da Canção, publicação que o professor coordena. Os artigos Temas Históricos em Canções do Iron Maiden, partes 1 e 2, de autoria de Meller foi notícia no site da BBC Brasil.

Para falar sobre esse trabalho, a ComC&T entrevistou Lauro, que revelou quando teve a ideia de realizar a pesquisa que envolve música e história: “ A primeira vez que eu abordei esse assunto foi com as canções do Iron Maiden, fazem 10 anos, em 2005 no congresso que foi realizado pela Associação Nacional de História (Anpuh) em Londrina (Paraná).  E como o congresso era de história, de uma forma muito panorâmica eu voltei a atenção para a música”, falou.

Após o congresso, o professor continuou sua pesquisa e em 2012, quando estava assumindo a Revista Brasileira de Estudos da Canção (RBEC), publicou dois artigos que contextualizavam ainda mais as canções do Iron Maiden e a relação do grupo com temáticas históricas. 

O professor explicou que até o nome da banda tem um relação com a história . Iron Maiden (Donzela de Ferro) é o nome de um artefato de tortura, consistia de um sarcófago e na parte de dentro tinham pontas que posicionavam a vítima para dentro. Ao bater a porta, não matava a vítima imediatamente. “Por aí você já percebia a correlação histórica, que também é um diferencial do Maiden, não só com uma coisa sombria, que é normal nas bandas em geral de Heavy Metal”, destaca.

Com base no seu estudo o professor citou canções como: Quest for Fire (Busca pelo Fogo), 1983; Alexander the Great (Alexandre, o Grande), 1986; Invaders (Invasores), 1982, Hallowed be Thy Name (Santificado Seja o Vosso Nome), 1982,Run to the Hills (Corram para as Montanhas), 1982; The Trooper (O Soldado), 1983; Aces High (Ases no Céu), 1984, que trazem temas históricos.

Lauro revelou que a música Rime Of The Ancient Mariner é uma canção baseada em um poema do  Samuel Taylor Coleridge poeta do século 18, que o conjunto adaptou para música. “Então fica mais interessante para o ouvinte e para o pessoal mais novo saber sobre essa relação de música e literatura. Lembro dos tempos universitário, quando fomos estudar o romantismo inglês e tinha Rime Of The Ancient Mariner e me indaguei, como assim?”, destacou.
Outra canção bastante impar para o professor é a “Murders in the Rue Morgue” que é uma música baseada em um conto do Edgar Allan Poe. Que também foi encontrada em uma matéria que cursou sobre narrativas norte americanas.

Um fato curioso para Meller é que a maioria das composições não eram feitas por Bruce Dickinson, mesmo ele já tendo sido professor de história, mas pelo o baixista Steve Harris, o que o impressionou.  “Com a excessão da  Empire of the Clouds que tá no disco novo, The book of souls, que de um dirigível que caiu em 1930. E é fácil entender. O Dickson, veio de uma familia de pilotos e ele é piloto, então nada mais natural que ele escrevesse sobre isso”, afirma.

E complementou:

“O que eu estou buscando nesse trabalho é justamente um olhar mais analítico das canções. E eu também acho importante franquear isso para um público mais amplo, quanto menos dados muito técnicos você colocar, melhor. Quando você vai fazer uma obra analisando música, quanto mais música popular, uma maneira que eu acho democrática é a Minutagem, que é falar uma marcação específica de tempo, por exemplo: olha, lá no 0:45s ele tá simulando aquele efeito, e no canal tal ele simula tal coisa…esse tipo de marcação faz com que o leitor consiga entender o que se passa. E o público que é fã da banda pode entender quando a banda faz menção a um certo personagem histórico.”

Atualmente Lauro está em mudanças para a Universidade de Liverpool onde vai realizar sua pesquisa de Pós-Doutorado sobre Música e emoções. “Uma das pretensões que tenho é pesquisar porque existe músicas que nos deixam tristes e já outras não. E que elementos estritamente musicais são manipulados por eles (o grupo musical) para deixar essas emoções, seja no musical ou visual”, argumenta.

Paralelamente ao mestrado o professor pretende terminar um livro tratando sobre as composições do Grupo Iron Maiden e suas características históricas, além de ampliar e traduzir para o português, dois artigos feitos ligando Iro Maiden e literatura, já publicados na RBEC. O primeiro deles fala sobre Rime Of The Ancient Mariner e outro sobre Murders in the Rue Morgue que trás como referência Edgar allan poe.

GEIMP

Até o primeiro semestre de 2015.1 Lauro coordenou o GEIMP (Grupo Interdisciplinar de Música Popular). Em 2014, começou com linhas de pesquisa com enfoque no Heavy metal juntamente com João Santana (IMD), Marcelo Pontes (aluno ECT segundo Ciclo) e Diego Bezerra(ex-aluno ECT).

Além da sua pesquisa de Pós-Doutorado o professor vai estudar de que forma o Institute for Popular Music desenvolve o estudo com música popular: “Eu quero saber do IPM, como eles trabalham música lá, até que ponto estudam músicas tradicionais e de que forma interdisciplinar, que tipo de pessoas vão para lá, se são de história por exemplo…  Eu tenho a ideia de convidar amigos historiadores para me ajudar nas análises e fazer uma maior abordagem interdisciplinar na minha pesquisa”, afirma.

As atividades do grupo GEIMP, tem previsão para retomadas em 2017.

Revista Brasileira de Estudos da Canção(RBEC)   

Lauro comentou que o site da  RBEC,  em 2016 vai receber  algumas melhorias, para atender melhor o público da Revista. “Pretendo em  2016, enquanto estiver na Inglaterra,  trazer algumas melhorias tanto no layout quanto na estrutura.”

Para conferir o site da Revista é só acessar: www.rbec.ect.ufrn.br

ComC&T
Assessoria de Comunicação e Produtora de Conteúdo