1. Introdução

Os alunos do Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT), da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) participarão de uma ou mais seleções internas para determinar o curso subsequente ao BCT no qual terão direito no reingresso específico ou se concluirão seu curso com uma formação generalista.

A primeira seleção interna (Seleção Interna do 3o Nível) será feita com os alunos que integralizarem os componentes curriculares obrigatórios dos níveis 1, 2 e 3 da matriz curricular do BCT e permitirá aos alunos escolher entre a área da tecnologia, os cursos da área da ciência (Ciências Atuariais, Estatística, Física e Matemática) como curso subsequente ao BCT ou a formação generalista.

Os alunos que optarem pelos cursos da área da ciência ou pela formação generalista não precisarão participar de uma nova seleção interna. Os alunos que optarem pela área da tecnologia participarão de uma segunda seleção interna (Seleção Interna do 4o Nível) ao integralizarem os componentes curriculares do nível 4 da matriz curricular do BCT para a área de tecnologia.

As seleções internas do BCT consistirão do cálculo dos Coeficientes de Rendimento Acadêmico (CRA) dos alunos e na posterior escolha, por parte dos alunos, da área e/ou curso subsequente ao BCT. Esta escolha respeitará a classificação do aluno na respectiva seleção, que será feita de acordo com o valor de seu coeficiente de rendimento, e o número de vagas destinado a cada área ou curso subsequente. Estas seleções internas e seus respectivos coeficientes serão detalhados nas seções a seguir.

Vale salientar que os Coeficientes de Rendimento Acadêmico usados nas Seleções Internas são parâmetros internos do BCT e não têm nenhuma relação com o Índice de Rendimento Acadêmico (IRA) calculado pela PROGRAD e definido no Anexo III do Regimento dos Cursos de Graduação da UFRN.


2. Seleção Interna do 3º Nível

A Seleção Interna do 3o Nível consiste no cálculo do Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 3o Nível (CRA3) e posterior escolha, por parte dos alunos e em ordem de classificação, pela área de conhecimento a ser trilhada nos níveis 4, 5 e 6 do Bacharelado em Ciências e Tecnologia e na formação de segundo ciclo ou curso subsequente ao BCT.

2.1. Participação na Seleção Interna do 3º Nível

Participará da Seleção Interna do 3o Nível todos os alunos que:

  1. integralizarem os componentes curriculares obrigatórios dos níveis 1, 2 e 3 da matriz curricular do BCT;
  2. tendo participado uma primeira vez da Seleção Interna do 3o Nível, solicitem, via requerimento escrito, participar de uma nova Seleção Interna do 3o Nível no semestre imediatamente posterior ao semestre da interalização dos componentes curriculares obrigatórios.

A participação descrita no item 1 será automática e todo aluno participará dela ao final do semestre letivo (excluindo-se semestres de férias) em que integralizar, com aprovação, os componentes curriculares obrigatórios dos níveis 1, 2 e 3 da matriz curricular do BCT.

A participação decrita no item 2 é facultativa e, havendo interesse por parte do aluno que já participou da seleção descrita no item 1, ele poderá solicitar, à Coordenação do BCT, sua participação em, no máximo, 1 (uma) outra Seleção Interna do 3o Nível.

O aluno que integralizar os componentes curriculares obrigatórios em um semestre letivo especial (semestre de férias) participará, automaticamente, da Seleção Interna do 3o Nível no semestre letivo regular imediatamente após o semestre de férias desta integralização. Este aluno poderá participar, facultativamente e sob solicitação, de mais uma Seleção Interna do 3o Nível no semestre letivo regular imediatamente posterior ao semestre de sua primeira participação na Seleção Interna do 3o Nível.

2.2. O Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 3o Nível, CRA3

A Seleção Interna do 3o Nível consistirá no cálculo do Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 3o Nível, chamado de CRA3, e classificação dos alunos segundo o valor deste coeficiente.

O CRA3 é calculado considerando somente componentes curriculares obrigatórios dos níveis 1, 2 e 3 da matriz curricular do BCT, doravante chamados de componentes curriculares obrigatórios. A expressão matemática do CRA3 é dada por:

[FORMULA AQUI]

onde:

ni3: é o número de vezes que o aluno se matriculou no componente curricular obrigatório i3;
Hi3: é a carga-horária do componente curricular obrigatório i3;
Ni3: é a nota de sucesso no componente curricular obrigatório i, ou seja, é a nota final do aluno quando da sua aprovação no componente curricular;

Em caso de persistir o empate, o desempate será feito por sorteio.

3. Seleção Interna do 4o Nível

A Seleção Interna do 4o Nível consiste no cálculo do Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 4o Nível (CRA4) e posterior escolha, em ordem de classificação, pelo curso subsequente ao BCT na formação de segundo ciclo dentre os cursos de engenharia disponíveis.

3.1. Participação na Seleção Interna do 4o Nível

Participará da Seleção Interna do 4o Nível todos os alunos que tiverem escolhido, dentro do número de vagas e de acordo com sua classificação na Seleção Interna do 3o Nível, a área de tecnologia e:

  1. tiverem integralizado os componentes curriculares do nível 4 da estrutura curricular do BCT na área de tecnologia.
  2. tendo participado uma primeira vez da Seleção Interna do 4o Nível, solicitem, via requerimento escrito, participar de uma nova Seleção Interna do 4o Nível no semestre imediatamente posterior ao semestre da interalização dos componentes curriculares obrigatórios.

A participação dos alunos na Seleção Interna de 4o Nível a que se refere o item 1 acima é automática e ocorrerá no final do semestre letivo (excluindo-se semestre de férias) em que o aluno completar o requisito do item 1.

A participação decrita no item 2 é facultativa e, havendo interesse por parte do aluno que já participou da seleção descrita no item 2, ele poderá solicitar à Coordenação do BCT sua participação em, no máximo, 1 (uma) outra Seleção Interna do 3o Nível. Nível, solicitação que só poderá ser feita no semestre imediatamente posterior à sua primeira participação na Seleção Interna de 4

O aluno que, na Seleção Interna do 3o Nível, tiver sido selecionado para a área de tecnologia e que integralizar os componentes curriculares do nível 4 da estrutura curricular do BCT na área de tecnologia em um semestre de férias participará, automaticamente, da Seleção Interna do 4o Nível no semestre letivo regular imediatamente após o semestre de férias desta integralização. Este aluno poderá participar, facultativamente e sob solicitação, de mais uma Seleção Interna do 4o Nível no semestre letivo regular imediatamente posterior ao semestre de sua primeira participação na Seleção Interna do 4o Nível.

3.2. O Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 4o Nível, CRA4

A Seleção Interna do 4o Nível consistirá no cálculo do Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 4o Nível, chamado de CRA4, e classificação dos alunos segundo o valor deste coeficiente.

O CRA4 é calculado considerando o Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 3o Nível (CRA3) e os componentes curriculares do nível 4 da matriz curricular do BCT para a área de tecnologia e tem por expressão matemática a equação:

[FÓRMULA AQUI]

Na Equação (3) temos que:

CRA3: é o Coeficiente de Rendimento Acadêmico do 3o Nível, calculado pela equação (1);
P4: representa uma penalidade por período letivo regular adicional gasto pelo aluno para integralizar os componentes curriculares obrigatórios do nível 4 da estrutura curricular do BCT para a área de tecnologia.
Esta penalidade é dada segundo a Tabela 3.2, onde NS2 é o número de semestres letivos regulares usados para integralizar tais componentes curriculares.

NS2 P4
=1 1,00 (0 %)
2 0,90 (10 %)
3 0,70 (30 %)
= 4 0,50 (50 %)

 

Tabela 2: Penalidade P4 por período letivo regular adicional gasto na conclusão dos componentes curriculares do nível 4 da estrutura curricular do BCT para a área de tecnologia.

 

Hi4: é a carga-horária do componente curricular i do nível 4 da área de tecnologia;
Ni4: é a nota de sucesso no componente curricular i do nível 4 da área de tecnologia, ou seja, é a nota final do aluno quando da sua aprovação no componente curricular;

O CRA4 será calculado e explicitado com (4) quatro casas decimais.

Assim, da mesma forma que o CRA3, o CRA4 apresenta uma penalização por período letivo adicional. Porém, não há uma penalização por carga horária adicional, pois cada aluno que trancar ou reprovar em componente curricular do nível 4 da estrutura curricular da área de tecnologia ou precisará cursar o componente no semestre letivo seguinte ou, mesmo no caso de cursá-lo no semestre de férias (em caso de reprovação por nota), só poderá participar da Seleção Interna do 4oNível no semestre seguinte e isto já constitui uma penalização bastante rigorosa.

Os alunos serão ordenados de acordo com a nota obtida no CRA4 e os de maiores coeficientes escolherão a engenharia correspondente a seu curso subsequente até o limite do número de vagas.

3.3. Interpretação do CRA4

A interpretação do CRA4 é similar à do CRA3.

Em seu cálculo é considerada uma média ponderada das notas de sucesso dos componentes curriculares obrigatórios e também dos componentes curriculares do nível 4 do BCT para a área de tecnologia, sendo que as notas de sucesso destes últimos estão majoradas em relação às notas dos componentes obrigatórios pelo fator 0,4 que aparece no segundo termo da equação (3).

Há, novamente, uma penalização por semestre letivo adicional usado para integralizar os componentes curriculares, mas neste caso os do nível 4 da estrutura curricular do BCT para a área de tecnologia. Não há uma penalização por carga horária adicional matriculada pelo aluno. Assim, o termo do CRA4 referente aos componentes curriculares do nível 4 da área de tecnologia (equação 3).

A média ponderada representada pela equação (3) poderá estar sujeita a uma penalidade multiplicativa que atinge os alunos que cursam os componentes curriculares do nível 4 da área de tecnologia em mais de um semestre letivo. Esta penalidade aparece na equação denominada por P4.

Assim, para não sofrer qualquer penalidade sobre sua "média ponderada de sucesso", o aluno deve integralizar todos componentes curriculares do nível 4 da área de tecnologia em um único semestre letivo.

3.4. Número de Vagas da Seleção Interna do 4o Nível

O número de vagas disponível para cada engenharia como curso subsequente ao BCT para os alunos que participarem da Seleção Interna do 4o Nível é igual ao número de vagas disponibilizadas pelos respectivos cursos subsequentes.

3.5. Critérios de desempate

No caso improvável de empate na Seleção Interna do 4o Nível será considerado como critério de desempate o valor dos coeficientes de redimento acadêmico destes alunos calculados somente com os componentes curriculares obrigatórios do 4o4P4 e dado por: nível da estrutura curricular do BCT, aqui chamado CRA

[FÓRMULA AQUI]

onde:

ni4: é o número de vezes que o aluno se matriculou no componente curricular i4 do nível 4 do BCT para a área de tecnologia;
Hi4: é a carga-horária do componente curricular obrigatório i3;
Ni4: é a nota de sucesso no componente curricular i4, ou seja, é a nota final do aluno quando da sua aprovação no componente curricular;

Em caso de persistir o empate, o desempate será feito por sorteio.

 

4. Observações importantes

Deve-se ressaltar alguns pontos importantes sobre as Seleções Internas do BCT e sobre os seus coeficientes de rendimento acadêmico.

  1. Os coeficientes de rendimento acadêmico das seleções internas (CRA3 e CRA4) serão calculados e xplicitados com 4 (quatro) casas decimais, por isto a probabilidade de empate entre dois alunos que participem da mesma seleção é mínima. Mesmo assim, em caso de empate, em qualquer das seleções, o critério de desempate é o explicitados nas seções 2.5 ou 3.5 deste documento.
  2. Os semestres letivos em que o aluno trancar o programa do curso não contam como semestre matriculado para integralização de seu curso e, portanto, não têm qualquer efeito no cálculo de seus coeficientes das seleções internas do BCT (CRA3 e CRA4).
  3. As disciplinas cursadas nos semestres letivos especiais (semestres de férias) contam para o cálculo dos coeficientes como carga horária adicional matriculada, mas o semestre de férias não conta como semestre adicional.